A Idéia e o Plano

Estamos juntos desde meados de 2016 e uma das coisas que temos em comum é a insatisfação com o estressante estilo da “vida moderna”.  Vivemos sempre na correria do dia-a-dia e, por mais esforço que façamos, nunca temos tempo para fazer tudo aquilo que queremos.  Temos a impressão de que vivemos automaticamente, correndo numa espiral sem fim e que lá na frente, quando nos dermos conta, um bom pedaço de nossas vidas terá passado sem que tenhamos vivido da forma como gostaríamos.

Fomos direcionados a alcançar objetivos dentro de um padrão convencional e, com muito esforço e dedicação, trabalhamos muito para os conquistar e sermos bem sucedidos.  Entretanto, com o passar do tempo fomos amadurecendo, avaliando outras idéias, formando nossas próprias convicções e chegou um dado momento que sentimos que esses objetivos convencionais não iriam nos satisfazer completamente.

Nós desejávamos outras coisas, viver uma vida mais leve, uma rotina mais integrada ao meio-ambiente, com interações pessoais menos superficiais e com foco em prazeres simples. Queríamos sair do padrão convencional e ir em busca de algo maior e mais valioso para nós, queríamos ter mais liberdade e flexibilidade em nossas vidas, queríamos que o “ser”, o “aprender” e o “conviver” fossem nossas principais preocupações na rotina diária.

Já tínhamos, então, uma justificativa, um propósito e um novo objetivo. Mas ainda precisávamos de uma estratégia, um plano para poder executar essa mudança e torná-la sustentável no longo prazo. Depois de muita reflexão, muitas conversas e muito planejamento, chegamos à conclusão de que inverteríamos a regra do jogo, parando de nos esforçar tanto para acumular para o futuro e começando a viver um pouco mais o presente com aquilo que já havíamos conquistado até então.

Em outras palavras, abdicaríamos de nossas carreiras profissionais, suas recompensas financeiras e a segurança que ela nos oferecia para termos uma vida mais simples, porém mais livre e menos frenética e estressante. Para não parecer que foi tudo feito só na base do “vamos lá”, fazemos questão de dizer que todo esse processo de decisão foi baseado em muita dedicação a planejamento, estudos e pesquisas. Investimos um bom tempo avaliando todos os “prós e contras”, riscos e oportunidades e, obviamente, montamos um “plano B” para o caso de as coisas não sairem como planejado.

Nessa fase de transição, nosso primeiro objetivo será fazer uma volta ao mundo de carro para conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes.  Percorreremos diversos rincões desse planeta sem prazo nem roteiro pré-definido, conhecendo e revisitando outros ambientes e culturas do mundo de uma forma diferente da convencional. Partiremos do Brasil em julho de 2018 rumo ao extremo sul do continente americano e depois inverteremos a rota para o norte, com destino às fronteiras do Alaska.  Na sequência das Américas, embarcaremos o carro para a Europa, visitando os países do velho continente. Em seguida, iremos em direção ao oriente para explorar a Ásia e a Oceania e estenderemos, ainda, nossa viagem à África.

Naturalmente que para tudo isso precisávamos de um carro com características que se adequassem muito bem ao nosso plano e, após 2 meses de buscas e pesquisas, encontramos nosso fiel companheiro de viagem, o qual carinhosamente apelidamos “Roots”. Só isso já foi maravilhoso porque conhecemos pessoas fantásticas com as quais trocamos informações e experiências…parecia que nossa viagem já tinha começado sem mesmo sair do Brasil.

Finalmente, depois de 6 longos meses trabalhando no planejamento, com um enorme frio na barriga e uma boa dose de coragem, iniciamos o projeto “SER Mundi”. Nossas regras são simples: prezar pela segurança, priorizar a hospedagem outdoor, não dirigir à noite e não ultrapassar o orçamento pré-definido. Para aqueles que quiserem acompanhar o desenrolar desse projeto é só acessar as outras páginas desse site ou nos acompanhar pelo instragram “SER_Mundi.com”.

EnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseSpanish